BASTA SEGUIR A VONTADE DE DEUS

Trago carinhosamente aqui o testemunho de mais um jovem PHN. Um jovem que tem garra, que tem vontade e que tem um coração menino, que tanto quanto o nosso deseja amar e ser amado no amor infinito que jorra do coração de Deus. Partilhemos essa vida que o Senhor tem lapidado carinhosamente, e por certo continuará a fazê-lo pouco a pouco. Com vocês, Freddy.




Freddy Ferreira
Oi, me chamo Frederico Ferreira - Freddy- , tenho 19 anos e moro em Cruzeiro, SP. Apesar de bem novo,  pensava muitas coisas do tipo  achar que nada iria dar certo pra mim  e que eu iria terminar meus dias sozinho, minha vida era muito sombria. Por conta disso ia à missa para tentar arrumar uma namorada. Toda a minha  procura era em vão, eu ia nas baladas, bebia muito para ver se perdia minha timidez e me soltava mais e nada, sou muito tímido e isso contribuía para que nos finais de semana eu ficasse em casa, chorando, triste, por não ter alguém comigo. Isso fazia muita falta e até chegou um momento da minha vida que a dor era tão forte que eu pensei em parar com tudo, sabe, desistir de viver.

            Essa foi a parte mais tensa da minha vida, porque o pensamento de suicídio vinha sempre à minha cabeça, mais eu chorava e pensava nos meus pais, na dor que eles sentiriam. Então namorei uma menina mais velha, já tem uma filha, foi um namoro conturbado, pois a vida dela era outro estilo. As pessoas de fora viam como eu sofria. Eu sabia que estava cego por gostar dela, mas eu não ligava. Foi quando ela pediu um tempo e nesse período ficou com outro garoto. Quando comecei a me afastar da menina,  ela veio me pedir  para voltar e eu, como ainda gostava dela, acabei voltando. Foram mais três meses de muita briga, pois ela tinha ciúmes de tudo, até mesmo da minha família e isso eu não admitia e resolvi terminar. Depois do término do namoro comecei novamente a sair, “curtir a vida”, estava com dinheiro e solteiro, meus finais de semana começavam na quinta e eram recheados com muita bebida. Assim passaram-se dois meses, até que eu encontrei outra pessoa, que em uma semana me disse tudo que minha ex nunca tinha me dito: dizia que queria ficar comigo, que gostava de mim e queria me fazer muito feliz, e eu fiquei muito animado com isso! Apresentei ela para a minha família. No dia seguinte, um telefonema do ex-namorado dela mudou toda a história e a fez terminar comigo. Namoramos só duas semanas. E eu não consegui ter reação quando ela me falou que a gente não namoraria mais, eu chorei muito, muito mesmo.

            Nessa época comecei a pensar que eu talvez fosse um anjo na vida das pessoas, pois minha ex-namorada mudou muito depois que eu entrei na vida dela, ela começou a valorizar-se. Percebeu que ainda que tenha tudo, se não souber cuidar do que tem, de nada servirá. Na vida de um colega meu fui um anjo de verdade. Ele tinha um namoro que parecia improvável. Consegui uni-los, e hoje graças a Deus estão juntos e bem.

            Depois disso tudo, comecei a pensar mesmo que fosse um anjo na vida das pessoas, que minha missão aqui fosse fazer o bem para as pessoas, mas me contentar com isso e nada mais. Foi quando disse a mim mesmo: “Vou ser feliz de verdade!” Decidi buscar a Igreja, e numa adoração ao Santíssimo Sacramento tive um encontro pessoal com Deus, me senti abraçado por ele e ele me mostrou o caminho certo e o errado. . FOI PERFEITO! Eu o sentia dizendo que o caminho certo era com Ele, mas  que muitos espinhos eu teria de enfrentar, precisaria ser forte. Então me decidi a  seguir o caminho de Deus. Na hora da bênção, eu abri os olhos, só então percebi que estava chorando.  Logo após  sacerdote  começou a falar das graças alcançadas e falou assim: “UM JOVEM ENTROU AQUI HOJE, DISPOSTO A MUDAR DE VIDA, ESTAVA SOFRENDO DE INQUIETAÇÃO, AGONIA MUITO FORTE NO PEITO, TRISTEZA E JESUS O TOCO.  AGORA ELE JÁ SABE TODAS AS RESPOSTAS QUE ELE PRECISAVA, BASTA SEGUIR A VONTADE DE DEUS. “

Freddy e Benny
            Depois disso, tudo que eu comecei ver a vida de outro modo, as coisas começaram a tomar outro rumo. Conheci pessoas de Deus, verdadeiros amigos com os quais sei que posso contar, mesmo à distância. Conheci uma pessoa muito especial pela internet, realmente é a pessoa que eu pedia a Deus todos os dias de noite nas minhas orações. Resolvemos acreditar que se Ele permitiu esse nosso encontro, a gente devia agarrar com todas as forças essa chance de ser feliz. Hoje estamos muito felizes e, a cada dia, mesmo com a distância, a dificuldade que passamos para nos vermos. Mas a cada dia renovamos nosso amor junto ao Senhor Jesus e agradecemos muito a Ele por nos ter dado a chance de ser feliz. Portanto eu e minha namorada sabemos bem tudo o que passamos para chegar onde estamos

            Bem, é isso... Hoje graças a Deus, com a minha força de vontade, esperança e fé em Deus estou com alguém que eu amo e que verdadeiramente me ama também.
                                                                                             

Frederico Ferreira




Estigma e Martírio da Alma



          Há momentos na caminhada com o Senhor que ainda que pareça estar em nossas mãos a chave que abrirá para nós os oásis de respostas que tão intensamente buscamos, o Senhor nos instrui ao martírio da espera, e nos dá como aguilhão na alma o estigma de Seu Silêncio. E a nós caberá que tal espera não se faça somente de boas intenções e sentimentos, mas antes, de recolher dentro em nós os resquícios do Amor Primeiro, recordar Suas obras e prodígios de outrora, crendo que neste silêncio será gestada a nova intimidade que Ele deseja nos dar.
            Ora, mas esta percepção de que é o próprio Senhor quem dá corda nos ponteiros do relógio, atravessa-nos o coração como uma espada, adentra-nos o peito tal qual um braseiro que queima sem nos consumir. E talvez seja essa a doce dor dos estigmas que Ele nos dá: a dor da noiva apaixonada que aguarda pelo noivo.
            Em meio a essa espera, saibamos que nosso coração será palco de grandes tensões e dores, mas também de sereno consolo vindo do próprio Senhor. Dentre tais consolos, está a certeza de que a vontade do Senhor se cumprirá em nossa vida, ainda que o parágrafo que escreva em nossa vida seja cheio de palavras rebuscadas e dê muitas voltas. Saibamos que no fim, colocará um ponto final na história que em nós escreve, que dará sentido e termo às angustiantes interrogações do nosso coração.
            Na certeza de que o calor do Divino Silêncio forjará o ouro, ensina-me, Senhor, a esperar em Ti vivendo o hoje. Que eu saiba que tu repousas Teu Olhar sobre mim e sobre o relógio de minha vida. Despertar-me-ás na hora certa de ir para a vinha.
            Fazei de mim, Senhor, mártir na espera, e que eu aceite de modo dócil os teus estigmas, pois eles são Tuas Insígnias, brasões do Teu Reino. E cumprir-se-á em mim tua Soberana Vontade, doce angústia de minha alma, paraíso de meu coração.
            Desejo fielmente cumprir, Senhor, tudo o que me venhas a pedir. Dá-me a força e a coragem para, mais do que dizer, viver o que digo: Vontade de Deus, meu paraíso!

"Vontade de Deus és meu paraíso!
Vontade de Deus és meu paraíso!
Todo dia um novo dia pra te amar!
Mais que ontem no sim de hoje

Um novo dia se fará!"
Carinho e orações
Roberto Amorim

Sentimentos que marcam



Nunca é tarde para recomeçar a caminhada, mesmo que há muito ela já tenha sido iniciada.

Uma onda de sentimentos tem marcado com tanta profundidade o interior de meu ser: a minha alma. Sentimentos esses que se confundem hora com tristeza hora com alegria de uma gratidão que jamais alcançará o valor que é devido. Um arsenal de sentimentos que preenche toda a minha vida de uma maneira que não existe justificativa, pois trata de uma presença que por muito não são percebidas apesar de todos saberem de sua existência.

Assim é que me encontro; falo da palavra encontro no seu sentido literal de ir ao encontro, deparar-se comigo mesma e com o Divino que sempre habitou em mim, fazendo-me de sacrário vivo.

Sentimentos que me marcam, encontros que jamais serão esquecidos nem que eu queira. Pensar que há muito tempo estive neste caminho e só agora pude perceber que ele era e é rico em preciosidades ocultas por uma visão antes limitada. Mas diante de tantas limitações, é preciso agarrar com garras de garça a oportunidade que é lançada para retornar ao início do caminho e percorrê-lo, notando em cada trecho, em cada curva e em cada planalto ou depressão a essência de um mistério, a grandeza de um pequeno detalhe e o valor de uma peça que nele estiver contido.

Hoje voltei ao início do caminho que foi traçado a mim. Voltei ao início para notar tudo o que antes não foi percebido, para colher tudo o que não foi colhido e para recuperar tudo o que foi perdido. Reinício esse caminho porque me ensinaram que tudo tem seu tempo de ser vivido e que nunca é tarde para recomeçar.

Assim, neste ponto de partida, darei o primeiro passo nesta estrada da vida. Tenho comigo algumas pessoas que me impulsionam a seguir, me concedem orientações para não turvar minha visão novamente com limitações. Pessoas que o Bom Pastor colocou para me acompanhar, pois sabe Ele que em minha fragilidade, tão facilmente posso me perder ou penetrar em uma curva que não faz parte do caminho que devo proceder.

Neste recomeço, cada passo é dotado de sentimentos que me marcam. Tornei-me sensível diante do Mistério Sobrenatural que vela por mim e que sempre esperou ansioso por este dia. Sentimentos que me marcam cada dia mais profundamente. É como se minha alma estivesse sendo marcada a ferro. Ao ser carimbada com tal instrumento, não sinto dor, porque há um zelo, um cuidado e uma proteção que não irá me fazer sentir a sensação de sofrimento, pelo contrário, só o sentirei se novamente tornar a fugir deste braseiro que inflama meu coração.

Sentimentos que me marcam ensinando-me a contemplar o mais Belo de todos, que me coloca em posição de prontidão para qualquer missão dada a mim. Sentimentos que me marcam ensinando-me a contemplar o Místico que se encontra diante do altar. Sentimentos que me marcam mostrando-me que criaturas imperfeitas como eu podem enfim encontrar a perfeição e se tornar sábia ao abraçar com toda voracidade a loucura da Cruz que também é a loucura do amor incondicional.

Sentimentos que me marcam... e como marcam eles minha alma e o meu ser, que me faz querer sentir e ser marcada mais ainda. Sentimentos que me marcam para eternamente serem recordados.


No amor Eucarístico de 
Jesus Sacramentado,
Nosso Deus Amado e Certeza do Céu

Aline Xavier
São Luis, 03/08/2010

Voltar pra Casa



 

    Ao fim de cada dia, de cada jornada de vida que cumprimos cotidianamente, nos deparamos com a chegada do período de repouso, descanso. Liberamos as tensões do dia e nos preparamos para o merecido refrigério de que tanto necessitamos. Tudo o que vivemos ao longo daquele pedaço de vida tem seu ocaso no momento que entramos em casa, retornando da batalha diária a que nos sujeitamos. Se a distância mensura o valor do lugar deixado, o retorno a casa torna-se a reconquista e o resgate de tudo o que somos para que se opere a reconstrução de nossas verdades mais íntimas ao longo do período de repouso. É a hora de despirmos o acidental e mergulharmos no essencial de nós mesmos. É necessário voltar pra casa ao fim de tudo...
    Entretanto, a volta não é a realidade mais agradável de experimentar. O operário que volta do seu ofício enfrenta as dificuldades do trajeto, do seu contexto social, de sua lida cotidiana. Do mesmo modo se dá com o peregrino coração que habita dentro de nós. Depois de suas muitas andanças e desacertos, é necessário tocar de novo o nosso lugar, entrar naquelas salas onde somos simplesmente nós mesmos.
    Resolver-se a tomar o rumo de volta pra casa, apesar de simples, é uma atitude que requer determinação e força. O caminho de volta pra casa é o mesmo e, paradoxalmente, não o é. Tomar o rumo de volta dói, arde, queima... A dor do retorno não é desmesurada, mas nos atinge na medida do quanto nossas fragilidades se fazem donas de nós.
    Confesso que em cada realidade que vivo no meu dia a dia, voltar pra casa é justamente a mais difícil em todo esse tempo. Não somente no campo espiritual de minha vida, mas como somos seres nos quais não há divisão de personalidade entre corpo e alma, o concreto de minha vida espelha a dificuldade interior em voltar pra casa. Muitas vezes apresentam-se no caminho chamarizes e atrações diversas, muitos nem tão sedutores assim, que nos prendem os olhos e o coração. Outras tantas, acabei permitindo que meus olhos pousassem sobre realidades marginais do caminho de volta pra casa, acidentes que não refletiam minha essência, que ainda que não tenham impedido meu retorno, muitas vezes mais atrasaram minha chegada. E assim tem sido minha busca por meu retorno interior. O caminho de volta passa por antigas vitórias que precisam ser recordadas, mas também por quedas assombrosas, sepulcros onde o homem velho ficara enterrado e ai precisa permanecer morto e sepultado. Passamos por castelos de areia que a fantasia construiu, que a Divina Misericórdia providencialmente fez ruir e não podem mais ressurgir em nossa historia.
    Percebo hoje, mais do que nunca, que é necessário ter a meta cravada dentro em mim para poder chegar onde Deus deseja me levar. Percebo que quem não tem os olhos fixos na meta, estaciona e para em qualquer esquina. Dentro em mim, a meta parece estar turva. Se outrora eu a tinha tão clara e viva diante dos olhos, já não a consigo perceber desse modo. Preciso desvencilhar-me do acidental. Arrancar-me de mim mesmo, ainda que saiba que tal atitude pode rasgar-me pedaços da alma. Mas a meta, se cravada firmemente no cerne da alma, compensará as dores.
    É preciso saber voltar pra casa. Minha casa, metáfora bela de minha essência. Eu preciso retornar à minha casa, tomar de volta nas mãos as chaves de minha história e entregá-las nas mãos do Senhor.
    É tempo de voltar pra casa...

 
    
Roberto Amorim
(voltando pra casa...)