Tempo, Véu que Recobre a Eternidade



 

    
    São duas faces da mesma história, duas cores no mesmo quadro. Os traços se encontram e se unem sem confusão, complementam-se na divina harmonia que excede todo entendimento. São dois lados da eternidade para a qual o Criador nos fez. O tempo cronológico, inexorável e aparentemente impiedoso, enseja e supõe o caminho para o eterno. Como um noivo deseja ardentemente o encontro com sua amada, o tempo corre pressuroso para o enlace com a eternidade.

    Hoje insuspeitadamente senti esta inspiração na alma, sem que soubesse como nem por quê. De modo admirável, o Espírito de Deus me levou a refletir acerca de uma linda frase que aprendi numa canção: "O tempo esconde o que é eterno." Por meio dessa pequenina frase, percebi e senti no intimo de meu coração que, rumando nossa vida para o eterno oculto sob o véu do tempo, direcionando nossa história para o amor de Deus e o Deus que é amor, entendo hoje que todo tempo vivido sem amor é vão. Longe aqui de supor que viver a vida no amor seja sentir o frisson e os arrepios de uma paixonite passageira, viver este tempo presente no amor deve imprimir em nós o caráter de busca pela vida que Deus deseja nos dar. "Estais mortos e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus" (Col 3). Algumas vezes a busca por esta vida nos traz momentos de dor, sofrimento, deparamo-nos com os limites de nossa condição humana. Visto por corações rasos o sofrimento parece contradizer totalmente a vivência desse amor. Entretanto, tal como a eternidade comporta em si o tempo, o amor traz em si a dinâmica do sofrimento. Ou de outra forma, o tempo presente, como sendo apenas o véu da eternidade, traz oculto o mistério de nossa vida em Deus. Assim também o sofrer vivido como entrega esconde em si o amor transfigurador de Deus, que faz esta vida um prenúncio do tempo eterno.

    Mais uma vez, pensando na frase que inspira esta pequena reflexão, me disponho a ficar de ouvidos e olhos atentos para não perder a essência do que ela diz. O tempo esconde o que é eterno. Este tempo, sacerdote das humanas razões, entrega no altar da vida o material com o qual construímos nossa história, para que, se assim desejarmos, a misericórdia de Deus resgate aquilo que não cabe em nós, que não é reflexo de nossa origem. Todo o tempo vão, vivido em caricaturas de amor, pode e será resgatado e redimido no Coração Misericordioso daquele Homem-Deus, que, na cruz, contraiu tempo e eternidade numa só realidade de amor e entrega. O gênero humano, redimido na Cruz, tem agora nas mãos o bilhete que lhe garante a eternidade sonhada pelo Criador quando rabiscava em sua prancheta o Seu projeto de amor para nossa vida. A opção de viver já a antecipação deste projeto é e sempre será unicamente nossa. Ainda que o tempo oculte o eterno, os sinais estão espalhados por aí, esperando para serem colhidos por nós. 

Com carinho e orações
Roberto Amorim 
06/06/2010 - 03:01h

Um comentário:

  1. Bonito e bastante reflexivo... de fato o Tempo não passa de um véu que recobre o Eterno. Tanto o eterno a ser vivido quanto o Eterno que é Pai.O agora é só caminho de buscas e superações que conforme for conduzido e atuado nos levará a levantar este véu e nos fazer conhecer e viver o que o Eterno deseja que vivamos eternamente: o infinito amor.

    ResponderExcluir