Essência




Pela primeira vez percebo que tudo aquilo que encontro dentro de mim, realmente é quem verdadeiramente sou. Esse é o meu verdadeiro eu. É minha essência como pessoa. Ser único, criado por Deus. Aprendi com uma grande sábia e poeta da vida, Ziza Fernandes, que, “Essência é o contrário de aparência...” E começo a tocar nessa realidade. Vivo cada vez mais perto de mim quando vivo minha essência. Essência é amiga do silêncio, mas não podemos nos calar diante de quem realmente somos. Temos que colocar toda ela para fora e vivê-la com intensidade e sabedoria.
Pensando nisso, fui meditando todas as ocasiões da minha vida e se realmente estou deixando minha essência transparecer ou se estou vivendo somente de aparências. E descobri que minha essência é alegre, é única, e até afirmo dizer que não existe em lugar nenhum uma essência igual a minha e igual a sua. Descobri que durante todos os nossos dias criamos máscaras que devemos usar nas diversas situações que a vida nos traz. Na faculdade, eu crio a máscara de aluno; dentro da comunidade, crio a máscara de coordenador; em casa crio, a máscara de filho; mas realmente a minha essência eu vivo quando estou só ou com amigos que me trazem o sentimento de confiança, que me aceitam como sou. Esses realmente sabem quem sou, sabem da minha história, conhecem a minha essência. E quando vivo minha essência, mais me remeto a Deus que é puro e que me aceita do meu jeito. Aí, encontro pureza para viver, encontro cura.
De repente, ao escrever esta formação abri um sorriso e em frente ao espelho pude perceber quão espontâneo é meu sorriso e quantas vezes o meu interior vai se tornando para o próximo fonte de verdadeira alegria que brota da alma. Pelo decorrer de cada dia, percebo que a alegria faz parte da essência de todas as pessoas. Temos que trabalhá-la e deixá-la transparecer, irradiar dentro de nós. Começo a entender que a alma alegre traz em si uma essência amada e que se doa para o amor. Quem ama sorri e mostra sua essência, mesmo quando não quer. É um ato puro, vem de Deus. Ele transparece mesmo quando não percebemos ou queremos.
O sorriso comunica algo da existência divina e pode falar muito da vida interior de uma pessoa. Eu comunico toda a minha alegria interior através do sorriso e muitos já me conhecem profundamente apenas por essa expressão facial que brota singelamente do meu rosto. Vale lembrar que tudo aquilo de bom que existe em nós é dom de Deus e tenho certeza que este sorriso é canal de graça para Deus comunicar a alegria para o meu próximo. Além do mais, o sorriso nos torna sensíveis à necessidade dos outros e assim podemos nos empenhar em viver em fraternidade que nos forma constantemente.
Senti em meu interior algo bom, percebi que através do meu sorriso espontâneo posso levar ao próximo alegria, que é fruto do Espírito Santo. Chego a conclusão que para mim não gera vaidade, mas, o meu sorriso comunica algo da existência divina. Uma expressão simples da nossa parte, que não exige muito e que movimenta somente alguns músculos da nossa face, mas fala abertamente quem somos e o de como está o nosso interior, nossa essência única dada por Deus.
O sorriso deve ser automático na face humana, deve ser divino para tocarmos no sobrenatural de Deus e tem que ser espontâneo para a ação de Deus acontecer em nós e para os irmãos. E o que é importante saber é que além do sorriso fazer bem ao próximo, ele também traz benefícios a nós e os maiores entre eles são os benefícios para a alma. Afirmo dizer que quem traz em si um simples sorriso é cumulado de dons e vive uma dádiva: ser instrumento de alegria para o mundo marcado pela tristeza que é conseqüência do pecado. Para mim, os benefícios materiais são apenas conseqüência de uma vida bem vivida. Sei que Deus se empenha nisso, no meu bem estar. Até porque, quem vive em Deus também conhece o sofrimento e a mínima alegria pode surpreender. O termo essencial que escrevi acima foi muito bem colocado, o sorriso é a essência da alma e existência divina que há em nós. Assim cada vez mais acredito na santa palavra de Deus e deposito maior confiança quando ela nos diz: “A alegria do coração é a vida do homem, e um inesgotável tesouro de santidade.” (Ecl 30, 23).
Então, vamos aprender juntos: Essência não pode ser comparação. Comparar-se é uma maneira terrível de se descobrir como parar, porque sempre levanta o pior de nós. Olhar com humildade nossa essência e perceber que ela faz parte de Deus e perceber para a pureza do nosso ser é levantar a Deus uma ação de graças mesmo calado e que com certeza grita no interior das almas. O sorriso apenas vai falar um pouco de quem somos, mas a essência vai gritar mais alto o que realmente somos. Pense: Um dia vi em mim um sorriso nunca visto: Era minha essência roubando minha aparência e tomando finalmente o seu lugar de volta.”

O que você está vivendo? Essência ou aparência?

Fabrício Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário